A insuficiência venosa crônica (IVC) ocorre quando há incapacidade das veias das pernas de bombear um volume suficiente de sangue para o coração.

Todas as pessoas têm três tipos de veias nas pernas: superficiais, profundas e perfurantes. As veias profundas são as responsáveis por levar o sangue até a veia cava, que é a maior veia do corpo humano, e para o coração.

As veias possuem válvulas na face interior da sua parede com a finalidade de evitar o refluxo do sangue durante o seu trajeto. Quando estamos sentados ou em pé, especialmente por um período longo de tempo, o sangue das veias das pernas pode estagnar, e a pressão das veias aumentar. Veias profundas e perfurantes conseguem suportar bem períodos curtos de pressão elevada. No entanto, em pessoas suscetíveis, que ficam repetidamente sentadas ou de pé por longos períodos, obesos ou pacientes com história prévia de trombose venosa profunda (TVP), pode ocorrer o enfraquecimento das paredes das veias e lesão das válvulas, causando IVC.

Diagnóstico

Existem exames que realizam o diagnóstico para indicar o tratamento adequado, de acordo com a gravidade do paciente. Os exames mais conhecidos são: Doppler Portátil de Onda Contínua, Eco-Doppler ou Duplex Scan e Fotopletismografia Venosa. O exame clínico também contempla a análise do histórico familiar e saúde geral.

Tratamento

O tratamento realizado pode aliviar os sintomas da doença venosa crônica e reduzir o risco de úlcera, ambos reduzindo a qualidade de vida e custos de tratamento. É indicado o uso de meias de compressão, que melhoram a hemodinâmica venosa, e dependendo do caso medicamento para atenuar inflamações. Outros sintomas da IVC podem ser evitados de formas simples, por exemplo, com a elevação das pernas acima do nível do coração e evitando ficar em pé por longos períodos de tempo. É indicado, também, manter o peso ideal, pois é bastante importante para diminuir o impacto dos sintomas da IVC.