Um líquido muito concentrado, chamado esclerosante, é injetado através de microagulhas, que são extremamente finas, dentro do vasinho. Este líquido provoca uma alteração na célula do vaso fazendo com que o vasinho desapareça. Quando o líquido continua na circulação e atinge os vasos maiores é diluído pelo sangue e perde a concentração e, portanto, o efeito.

Este tratamento de escleroterapia ou esclerose com espuma é indicado apenas para os vasinhos, porque se o líquido for aplicado em vasos maiores podem provocar manchas e sérias complicações. Existem muitas substâncias que podem ser usadas e uma das mais empregadas é a glicose, por causa da grande tolerabilidade do paciente e por não causar alergia. Para evitar complicações, não é conveniente aplicar grandes volumes de esclerosante de uma só vez, por isso o tratamento deve ser feito por sessões, onde em cada uma é aplicado um volume de esclerosante que seja bem aceito pelos pacientes.

Atenção: Os tratamentos de “aplicação” que prometem corrigir tudo em um só dia, não são indicados, porque aumentam o risco de complicações.

A Escleroterapia não deve ser realizada em vasos de maior calibre (Varizes). A Escleroterapia utilizada corretamente e só nos vasinhos é muito eficiente e não apresenta problemas e não provoca dores fortes. O tratamento deve ser feito sempre por médicos especialistas o que evita complicações do tratamento, que ocorrem quando realizado por pessoas inabilitadas.

Mais recentemente, passamos a utilizar um novo método em nossa clínica, a Crioescleroterapia, que se mostrou vantajoso . A Crioescleroterapia mostrou em pesquisasque apresenta resultados mais rápidos, com menos dor, com custos semelhantes e com menos complicações do que a escleroterapia.